Pizzaria do Paulista encerrado topo
Paraíba

Leto Viana chora durante depoimento e pede perdão por delações

Leto se emocionou e disse que não teve outra opção que não fosse a delação onde ele abriu o jogo para o Ministério Público Estadual.

04/09/2019 17h13
Por: wallisson oliveira
Fonte: clickpb

O ex-prefeito de Cabedelo, Leto Viana, voltou a ser ouvido pela justiça nesta quarta-feira (4), em Cabedelo, onde foi interrogado sobre as cartas-renúncia assinadas por vereadores na cidade. Durante o interrogatório, podendo falar sem ser interrompido, ele chorou e pediu perdão pelas delações feitas no processo iniciado desde o ano passado. Leto é acusado de corrupção em um esquema desmantelado pela Operação Xeque-Mate.

No momento em que explicava como funcionava a prática de assinaturas de cartas-renúncia, Leto se emocionou e disse que não teve outra opção que não fosse a delação onde ele abriu o jogo para o Ministério Público Estadual (MPPB) sobre como funcionou o esquema que culminou na renúncia de Luceninha, pagamento de propina a vereadores e outras práticas criminosas.

"No momento em que aceitei fazer a colaboração, não vou mentir, não vou levantar falso a ninguém, mesmo que seja meu adversário", disse.

O ex-prefeito também pediu perdão à esposa, Jaqueline Monteiro, por ter a envolvido no esquema. Jaqueline ficou presa por mais de um ano. "Minha esposa em nenhum momento fraquejou. O tempo todo ela me fortaleceu e ainda me fortalece. Ela ficou presa por mais de um ano por causa disso", falou.

Leto espera pelo julgamento do habeas corpus que pode tirá-lo da prisão. Enquanto espera, ele contou que tem procurado estudar e também ler a Bíblia. 

"Eu tenho um amigo que é ateu e eu sempre reclamei com ele, dizia que ele tinha que acreditar em Deus. De repente eu me pego fazendo isso. Dizia que acreditava em Deus, tinha um bom coração, mas eu não praticava os ensinamentos de Deus. Quando eu for solto, vou pedir desculpas a esse meu amigo". declarou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.