Pizzaria do Paulista encerrado topo
Paraíba

Cabedelo terá shopping com 200 lojas e 4,5 mil empregos

Será um investimento aproximado de R$ 250 milhões, com 54 mil metros quadrados, ocupados por lojas, quiosques e outros estabelecimentos

13/08/2019 15h59
Por: wallisson oliveira
Fonte: clickpb

A Prefeitura Municipal de Cabedelo (PMC) entregou, nesta terça-feira (13), ao Grupo Marquise, o alvará de construção do Shopping Pátio Intermares. Com todas as licenças necessárias, o grupo pode, agora, iniciar o empreendimento, que deve gerar cerca de 4,5 mil empregos e movimentar a economia local. O shopping tinha sido barrado em esquema de corrupção investigado na operação Xeque-Mate.

O shopping vai contar com mais de 200 lojas e 1.400 vagas de estacionamento, em um investimento aproximado de R$ 250 milhões, e deverá ter 54 mil metros quadrados, ocupados por lojas, quiosques e outros estabelecimentos comerciais e de serviços.

Já na etapa de construção, o empreendimento deverá gerar cerca de 600 empregos. Quando inaugurado e começar a funcionar, vai proporcionar cerca de 4.500 ocupações. Estima-se que o faturamento anual gire em torno dos R$ 600 milhões, o que proporcionaria uma receita em impostos da ordem de R$ 75 milhões para os cofres públicos de Cabedelo e do Estado da Paraíba.

Representante do Grupo Marquise, André Varjas (esq.) recebeu do prefeito Vitor Hugo o alvará para construção do empreendimento em Intermares (Foto: Divulgação/PMC)

“Toda parte burocrática que cabe à prefeitura foi resolvida. Fizemos um esforço concentrado para liberar as licenças necessárias, o Grupo Marquise também se esforçou para colocar tudo em ordem e, hoje, finalmente, entregamos o Alvará de Construção. A partir de agora, cabe ao Grupo tornar esse sonho realidade”, disse o prefeito Vitor Hugo.

Xeque-Mate

Deflagrada em abril de 2018, a operação Xeque-Mate foi motivada, segundo a Polícia Federal, por uma denúncia de que o prefeito Leto Viana teria forçado vereadores a assinarem cartas-renúncia. Caso algum deles votassem contra as intenções da gestão, o documento seria protocolado. Por se arriscarem a assinar as cartas, os vereadores recebiam dinheiro e outros benefícios. Entre as decisões da Câmara alinhadas à vontade do prefeito, estaria o veto à construção do shopping na cidade. Leto Viana foi preso nas investigações e é um dos 26 denunciados na operação que apura o esquema de corrupção no Município.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.